Xuxa, sexo, rock e a Internet em que vivemos

Sobre o caso Xuxa contra a Google
A Xuxa, mais conhecida como “Rainha dos baixinhos”, junto com seus advogados, ainda vive na década de 1980, quando tudo o que existia de mídia eram fitas K7, VHS, o domínio da Globo na TV aberta, jornais, revista e rádio. A centralização da informação e o domínio de grupos sobre essa informação caiu por terra com a proliferação da internet e todas as suas possibilidades. A liberdade de expressão tomou tão proporção que, nem mesmo sob a força da Justiça é possível coagir a informação.

Este artigo é apenas uma reflexão e um alerta de como devemos ter cuidado com as informações (pessoais ou não) que publicamos e deixamos livres na internet. Podemos perder o controle de seu alcance. Cabe somente a nós mesmos protegermos nossa imagem.

Não estou dizendo aqui que vale tudo na internet. Existem leis nacionais, acordos internacionais, justiça (direito) e regras sociais que devem sempre ser respeitadas. O problema está quando uma pessoa, um único indivíduo ou grupo, se acha no direito de limitar o acesso à informação.

Recentemente a apresentadora Xuxa, entrou com ação contra a Google, solicitando que toda referência de seu nome associado à palavra “sexo” (ou semelhante), seja retirado dos resultados do Google.

Xuxa

Você que é um usuário comum de internet ou mesmo avançado, sabe que isso é algo totalmente inviável e até impossível, por mais poderosa que a Google seja.

É claro que o STJ (pela Ministra relatora Nancy Andrighi), com um mínimo de raciocínio lógico, entendeu os argumentos de defesa da Google, insistindo na tese de que a Google não é responsável pelos links indexados nem pela forma como as palavras chave são associadas para gerar os resultados.

Se a página detém conteúdo ofensivo, cabe à parte buscar a retirada desse conteúdo do site“, segundo disse a Ministra. Os advogados da Google ainda completaram: “Xuxa deveria brigar com quem tem postado as fotos na rede e não com os buscadores“.

Xuxa no Fantástico falando de sua vida

Não está aqui em questão a hipocrisia por trás de uma ação como essa, que beira à “mania de perseguição” e tentativa de acobertar um passado não tão “Global” e nem tão meigo da Xuxa (ninguém espera que a Xuxa seja “santa”, mas ela quer assumir esse papel). O ponto é exigir que a justiça impeça que algo seja encontrado nos buscadores ou achar que a internet pode ser controlada nesse nível.

É muito parecido com o caso do “FAlha de S. Paulo” (Desculpe a Nossa Falha), onde a Folha de São Paulo retirou do ar, por meio da justiça, um site que fazia sátiras com o jornal: Entenda o caso. É sempre a velha mídia perdendo espaço para a verdadeira liberdade de expressão e o verdadeiro acesso ao conhecimento que a internet proporciona.

Tudo é muito novo e recente na internet. Ainda estamos aprendendo a lidar com essas inovações. Mas uma coisa já sabemos: a internet é um campo livre para a expressão humana. É como disse a diretora jurídica da Google Brasil: “Não existe essa coisa de sair da internet“. Nem podemos esquecer que a Google não é a dona da internet.

Não se trata de um crime ou algo como aconteceu com a Carolina Dieckmann. É simplesmente alguém que não quer ver seu nome aparecendo na internet. A Xuxa pode ter os motivos dela, mas não justificam nem podem ser levados a sério. Basta lembramos do incidente que ela mesma provocou no Twitter:

Xuxa no Twitter

É um bom retrato da mentalidade de muitos que ainda não entendem como a internet funciona e que não é uma via de mão única. A Xuxa e muitos que ainda estão agarrados aos formatos da mídia tradicional, esquecem que a internet oferece a possibilidade de todos falamos ao mesmo tempo. Tem retorno, onde lidar com o contraditório não é tão simples quando deixar de noticiar ou publicar algo no Jornal Nacional.

Pode não aparecer na TV, mas a internet nunca esquece.

32 Comentários

  1. A xuxa queria matar o carteiro pq na carta tinha uma multa de transito,sendo que ele só entrega a carta…é praticamente isso..sendo que quem avançou o sinal foi ela e quem emitiu a multa foi o detran…

    Responder

  2. Como sempre mais um levou na cabeça, talvez aprendem a controlar melhor os atos e proteger a sua imagem. Fez o filme por dinheiro agora quer tentar censurar e muita hipocrisia, assim como tentar “regulamentar” a internet não entenderam que aqui é um território livre.

    Responder

  3. Eu acho que é possível sim a google, por mais poderosa que seja, realizar o pedido da Xuxa, mas ela (google) simplesmente não tem interesse ($$$).

    Eu acho SIM que todos nós deveríamos ter o direito de impedir que a google mostrasse algo nosso comprometedor, idependente de sermos famosos ou não. Mesmo se nós mesmos postamos tal coisa porque temos o direito ao arrependimento e a vida é nossa. E se eu posto algo super bobo hoje mas que no futuro, por causa de mudanças de leis ou mudanças comportamentais aquilo vire algo comprometedor, eu não teria o direito de retirar aquilo das buscas por prejudicar minha imagem? Acho que sim!!
    Levamos o poder da google longe demais…

    Responder

    • É possível sim retirar uma página que um blog seu indexou no Google, mas é totalmente inviável retirar resultados de pesquisas de diversos sites, se a pessoa se sente prejudicada com o conteúdo solicite a retirada do conteúdo do site, corte o mal pela raíz. Veja mais informações no post aqui mesmo do ferramentasblog: http://www.ferramentasblog.com/2012/06/como-remover-conteudo-do-google.html

      Outro detalhe na maioria das pesquisas que possuem a palavra chave “sexo” o google não exibe anuncios o que não gera nenhum $$$ para ele, o adwords tem políticas rígidas quanto a isso.

      Responder

    • Kate,
      Não cabe à Google escolher o que as pessoas colocam na internet.
      Pense no seu exemplo: você publica hoje algo que no futuro poderá se arrepender. Quem é responsável pelo conteúdo: você ou a Google? Basta você excluir o conteúdo original e ele também sumirá do Google.

      O Google é apenas um índice, exatamente igual ao índice de qualquer livro. Apagar o índice não impedirá que as pessoas leiam o conteúdo do livro, comprem o livro e até copiem o livro.
      O índice da Google é apenas um catálogo do que existe na internet.
      Além disso, a Google não é o único índice (não é o único buscador). Existem centenas, milhares de outros mecanismos de busca que fazem a mesma coisa. Apagar algo do índice do Google não vai sumir com a informação e não vai apagar dos outros buscadores/índices que existem.

      Outra coisa, o início de seu comentário:
      Realmente não é viável tecnicamente atender o pedido da Xuxa. Por exemplo: excluir todos os resultados que fazem referência às palavras associadas “Xuxa e sexo”, sumiria até com artigos que falam bem dela. Imagine um trabalho acadêmico que fala da “sexualidade de adolescentes da década de 1980″ onde faz alusão à influência da Xuxa no comportamento sexual daquela época como ícone.
      Isso também sumiria dos resultados.
      E o nadador Xuxa? Como diferenciar quais conteúdos e links fazem referência ao nadador e não à apresentadora Xuxa?
      E outros idiomas…?

      Entende que não é tão simples assim?
      Agora imagine se todo mundo resolver solicitar ao Google que exclua qualquer referência a seus nomes? Quanta gente tem nome parecido? Interesses diferentes? Isso tornaria a internet inviável.

      Repito: Nós somos os únicos responsáveis por nossa imagem na internet!

      Responder

    • Kate,
      Não quis mesmo ser imparcial. Apresentei minha opinião e meus argumentos quando ao assunto, exatamente o que penso.
      No mais, não existe nada nem ninguém que seja realmente imparcial. É a realidade e temos que conviver com a opinião de todos.

      Responder

      • Concordo com o Marcos(desculpe em algum lugar que não acho mais saiu “Marcio”kkkk tou igaul a xuxa!)Se você coloca sua opinião não tem porque ser imparcial…penso que nem dá!

        Responder

      • Você é expert, domina o assunto “internet” e tudo relacionado a isso. Nota-se nos teus comentários.
        Quanto a isso ninguém discute.

        Mas você dizer que “ninguém é imparcial”?

        Não podemos compartilhar com visão tão parcial, ora!

        Não é só o caso Xuxa, mas ‘todos’ que mexem com a identidade das pessoas nesse mundo. Em vez de ver por um ângulo ou apenas por um lado, ponha-se no lugar, tente imaginar a dor e o sofrimento das pessoas. Sabemos que numa hora dessas poderá ser contigo, e aí poderá pedir clemência, perdão e ajuda.

        Não pode ajudar de forma positiva, tente ao menos ver e ser “IMPESSOAL”!

        Custa-lhe muito?

        Responder

        • Gilmar,
          Conceitos como “imparcial” ou “impessoal” não funcionam.

          – Imparcial? Sempre veremos as coisas por poucos ângulos. Somos limitados. Não para colocar-se totalmente à parte de algo e temos nossas impressões, nossa forma de ver o mundo e interpretá-lo. Você nunca verá o mundo como eu vejo. Você pode até tentar entender meu ponto de vista, mas sempre será “O meu ponto de vista” ao contrário do “Seu ponto de vista”.

          – Impessoal? Ao olharmos o mundo, lermos a realidade à nossa volta, o fazemos como PESSOA. Não dá para ter uma visão despersonalizada. E mais uma vez, eu não tenho como estar no lugar do outro e entender totalmente a visão do outro sobre a realidade que vive ou viveu.

          Sinto muito, Gilmar. Qualquer um que disser ser imparcial ou impessoal estará sendo parcial e pessoal. É da condição e da natureza humana.

          Responder

          • É claro que funcionam!

            Nunca teve a oportunidade de conhecer alguém desprovido e desarmado da “necessidade” de usar a mente para analisar, comparar e avaliar outras pessoas?

            Eu que quero dizer é: independente das nossas “visões de um ponto” sobre as questões aqui colocadas, tentarmos olhar pra isso totalmente desprovido das armas do ego. Olharmos pra isso sem o senso crítico do ego que, isso sim, é sempre parcial e pessoal.

            Concordo com você que, como disse L. Boff, estamos debaixo do mesmo sol, mas cada um vê o mundo a seu modo, nível e grau. O que insisto em dizer é que da mesma maneira que você julga e avalia o mundo e as pessoas, assim será com você.

            Sermos flexíveis e libertos dos impulsos egoicos que teimam em controlar nossos pensamentos e atitudes, é uma condição na qual tanto a Xuxa, quanto qualquer outro escândalo, deveriam se tratados como “oportunidade de aprendizado sutil”. Como assim? Não é questão de defesa ou ataque, mas deixar fluir segundo o curso natural das coisas.

            Deixarmos o rio seguir o fluxo, nada mais!

            Mas, dizendo isso alguma coisa será mudada ou sofrerá transformações? Mudaremos nossa postura diante dos fatos que a mídia diuturnamente disponibiliza? Pra quê? Porquê?

            Você expôs sua visão sobre um desse fatos, segundo tua visão e percepção; e demonstrou excelente nível quando não contra-atacou e nem revidou, mas preferiu o diálogo e o debate sadio.
            Isso por si só já uma demonstração de flexibilidade!
            Nota-se que sabes bem que por detrás dos nossos obtusos egos existe vida, Vida Real.

            Grande abraço. Ótimo domingo!

            Responder

  4. Isso nem tem conversa! Tudo que aparece na internet o povo vem reclamar com a Google. O site apenas indexa o que o povo posta nos sites, não tem qualquer ligação com eles.

    Isso depende dos dois lados, basicamente, pela boa fé e bom senso. Mas neste caso com certeza a Google tem razão e deveria encerrar o caso.

    Responder

  5. Acho que a xuxa tá confundindo com o caso do livro da biografia do Roberto Carlos que ele impediu de sair, e no fim o Juiz pegou um livro e pediu um autógrafo pra ele, lembram??? Ela tá achando que o Google e a Internet é um livro…Aqui na Ilha (Floripa SC)a gente diria…ohohohó, tás tola nêga, tás?

    Responder

  6. Com isso já não sei mais se a xuxa realmente quer dar uma de”santa”, de “ingênua ou de vítima”…ou está perdendo espaço na mídia e quer aparecer de qualquer jeito! Acontece que a idade e o tempo passa para todos, TUDO PASSA e tem gente que não quer aceitar isso…vá fazer “Análise” então!

    Responder

  7. Tem muita gente, como a Xuxa, que acha que o Google é o dono da internet. Um dia desses uma mulher encontrou uma foto dela em um blog de conteúdo adulto e disse que ia processar o Google.

    Responder

    • Concordo com a Leticia. Ótimo artigo.

      A Xuxa é uma hipócrita. Se eu não estiver enganada, as cenas de sexo que ela tenta impedir de ser veiculadas por aí é principal cena com um garoto (uma criança). No Fantástico, deu baita depoimento contando os abusos sexuais que sofreu com seus parentes, amigo da familia e até um professor.

      Estranho uma mulher dizer a todos que foi abusada sexualmente e sabermos que já fez filme porno entre ela e uma criança?? O.o

      Se a moda pegar, Gretchen, Alexandre Frota, Rita Cadilac, Leila Lopes (essa vai se levantar do tumulo..rs) que se dizem “arrependidos” de terem feito esse gênero de filme, processar o Google para retirar toda a tranqueira que eles fizeram. Aff…

      Abs!!

      Responder

  8. Sou responsável pelos comentários que meus leitores publicam em meu blog, se tem palavras criminosas quem paga sou eu. Mas o Google ou a Google não pode se responsabilizar com o que eles permitem em seus serviços?

    Já vi muitos blogs de distribuição de filmes piratas, e os autores destes blogs escrevem uma pequena mensagem dizendo que não se responsabilizam pela distribuição de filmes piratas, alegam que os filmes estão na internet, e que eles somente compartilham o que já está na própria internet. Se os donos destes blogs de pirataria são culpados eu não sei, mas deveriam ser, pois estão fazendo parte dessa distribuição.

    Penso que a Google deveria ser responsável sim, pois milhares de blogueiros enviam sitemaps todos os anos, e eles que prestam este serviço de indexar.

    @Robert Birschener:
    Outro detalhe na maioria das pesquisas que possuem a palavra chave “sexo” o google não exibe anuncios o que não gera nenhum $$$ para ele, o adwords tem políticas rígidas quanto a isso.

    Filipe: Discordo de você Robert, pois toda pesquisa que é feita no Google gera dinheiro para eles, de alguma forma ou de outra isso acontece.
    A prova do que estou falando é o investimento que o buscador wibi está fazendo: pagando centavos para os usuários navegarem através dele.

    http://www.wibi.com.br/cadastro/?amigo=140995
    Obrigado Marcos lemos, acredito que você vai editar este link, mas seria bom deixar para quem ler este comentário entender sobre o que estou falando. Mas acredito que a página inicial do wibi já da para entender.

    Responder

    • Google não responsável por conteúdo de terceiros. Se estiver no Blogger, aí sim é outra história.

      Responder

  9. o “engraçado” é q ela trabalha numa empresa em que aliena as pessoas com os diversos tipos de midia social e “televisiva” e ainda está com esse pensamento retrogrado,nem vale a pena eu fazer um comentario sobre tal pessoa, nao tenho nada contra, porem é uma perda de tempo lhe dar com gente do tipo, marcos lemos sucessoo o/, vc ta de parabens com seus artigos e a sua equipe tbm!

    Responder

  10. Este pedido esta relacionado ao que ela disse recentemente ou a uma fita que ela gravou a um tempo atras?por que existe um boato que ela contracenou cenas assim com uma criança?

    Responder

  11. O que a Xuxa tentou fazer foi algo infundado e realmente sem ter noção do que é o campo da internet. Se ela não quisesse ser associada à palavra sexo, não desse a informação de que foi abusada sexualmente em rede nacional. Como bem explicitou o texto, as mídias tradicionais não tinham interação, o que hoje foi modificado com o advento das novas tecnologias. Alegar não saber disso é o mesmo que dizer que está fora da sociedade, porque não acredito que uma pessoa como a Xuxa (que tem menos de 50 anos e usa a internet) tenha a inocência de achar que não teria comentários a respeito de seu passado e que a Google seria responsável por todos os milhões de sites que postaram fotos suas comprometedoras. Infelizmente, todo mundo tem o passado que tem – e agora ele é exposto.

    Responder

  12. A Xuxa com a sua ação contra a Google só aumentou aquela fama que as loiras tem, “Loira Burra”. Nos dias de hoje tem gente que ainda acha que após algo cair na net é possível tirar, como se tira um livro da mesa do centro da sala para guarda-lo no lugar certo.

    Uma coisa é certa, “CAIU NA NET JÁ ERRA!”. Até hoje é possível achar o vídeo da Maíra, a Ex-BBB 9 fazendo sexo com seu es marido, que foi filmado em um celular, cujo mesmo foi roubado e postado no YouTube. Só não está mais no YouTube, mas os usuários podem achar em outros site de vídeos, incluindo sites adultos, ou ainda baixar de um servidor.

    O caso da Carolina Dieckmann é outro. Fizeram tanto chabu e as fotos continuam na rede, e vão ficar eternamente. É como diz aquele velho ditado: “Se arrependimento matasse”… e eu completo: A Xuxa já estaria morta!. Ela pode até vender sua alma, mais seu passado ficará eternamente na web, isso é um #fato

    Marcos Lemos, se você permitir deixe essa matéria que tem tudo haver com esse seu artigo: Xuxa vence batalha judicial contra o Google, porém ela nunca irá apagar o seu passado da internet
    http://bit.ly/LHewSY

    Responder

  13. Pingback: A ignorância da Justiça brasileira e o atentado à Liberdade de Expressão - [ Ferramentas Blog ] | [ Ferramentas Blog ]

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.