O FeedBurner vai acabar?

Hospedagem para Blogs

Há muito tempo venho ouvindo todo tipo de coisa sobre o FeedBurner da Google, o sistema para distribuição de Feeds e Newsletter mais usado por blogueiros no mundo. O mais recente é que o serviço será descontinuado e já começou o fim, uma vez que vários recursos já acabaram (ou não?). Muita gente assustada está migrando para outros serviços semelhantes, mas é importante saber o que está acontecendo de fato antes de tomar alguma atitude.



Andei pesquisando as informações que existem sobre o fechamento do FeedBurner ( Feedbuner shutdown), especialmente em inglês, no fórum oficial e até lendo algumas opiniões. O que descobri é que muita coisa é mais boato do que realidade.

O que realmente irá acabar ou já acabou?

O que temos de concreto é que a equipe do FeedBurner já descontinuou/descontinuará dois, apenas dois, serviços que afetam pouco a rotina dos usuários do sistema de Feeds.

  • Fim do FeedBurner API = Um API é uma séria de códigos para programação que um sistema oferece para desenvolvedores acessarem recursos.
    No caso do FeedBurner um API muito usado era o de acesse ao contador de assinantes. Agora esse recurso não pode mais ser usado.

Conforma podemos ver na página oficial do FeedBurner API, não é mais possível encontrar nenhum código para desenvolvedores. Tudo foi fechado e ficou inacessível e serviços que dependiam disso, pararam de funcionar. Isso aconteceu no dia 22 de Outubro/2012.

  • AdSense para Feeds = Para quem monetiza o Blog com AdSense, era possível adicionar banners no Feed e em Newsletters do FeedBurner. Mas agora o serviço será finalizado e os banners pararão de aparecer nos leitores de Feed, ficando restrito apenas para uso em sites e Blogs.

Esse serviço não se mostrou muito eficiente nem para a Google e nem para nós produtores de conteúdo. Fato é que exibir anúncios no Feed e newsletter não gera tantos cliques. Por isso mesmo, no dia 3 de Dezembro/2012, a Google vai encerrar esse serviço (conforme podemos ler no site oficial “More spring cleaning“).

Do que foi possível apurar, a fonte de boa parte dos boatos de que a Google fechará o FeedBurner nasceu por conta do fim desses dois serviços. No Fórum oficial  (FeedBurner Help Group) não há nada sobre o fim do serviço e nem mesmo em outros sites e blogs oficiais da Google.

O boato ficou mais forte por causa de uma publicação (Is Feedburner about to be closed by Google?) que penso ter sido uma das primeiras, tratando sobre o fim do API do FeedBurner e do AdSense para Feeds, como descrevemos acima. A coisa ficou pior com a publicação de um outros artigo (Prepare for goodbye Feedburner in October 2012) que dava garantias de que realmente o FeedBurner fecharia em Outubro. A confusão é justamente porque muita gente não entendeu o que seria o fechamento dos recursos de API do serviço e achou que isso significava o fim de tudo.

Para os alarmistas de plantão, fato é que não temos nada de concreto e a Google não anunciou o fim do FeedBurner, como alguns esperavam. Além disso, a prática da Google é avisar as coisas com muita antecedência e até adiar decisões difíceis como essa.

Não temos com o que preocupar. O FeedBurner não vai acabar (ainda) e poderemos continuar usando seus serviços. Tudo continua como antes.

15 Comentários

  1. Gosto do Feedburner por sua simplicidade. O sistema de RSS Feeds dele é bom, mas não gosto do sistema de mail marketing. Prefiro o sistema do Mailchimp, que têm me sido muito mais eficaz.

    Critico a forma de captação de e-mails do Feedburner, acho complicado para o usuário ter de responder um captcha e ainda confirmar o e-mail. Acredito que um ou outro é o suficiente para lidar com Spams.

    Como sou programado PHP, criei meu próprio sistema de captação de e-mails, mais rápido e mais fácil para o usuário.

    Se você quiser Marcos, posso escrever um guest post ensinado como fazer, basta entrar em contato.

    Fico na expectativa do serviço não ser encerrado, uma vez que quanto mais produtos do tipo no mercado, melhor para o usuário.

    Abraços e sucesso!

    Responder

  2. Marcos,

    Obrigado por esclarecer. Contudo, mesmo com todos esses boatos, o Google permanece calado. Esse tipo de atitude acaba disseminando o pânico. Pela ausência de uma comunicação eficiente, fica a impressão de que perdemos um ótimo serviço.

    De qualquer forma, parei de usar o feedburner como feed nos meus blogs (não quero “pagar para ver”). O próprio fechamento do endereço do japão (feedburner.jp) sem aviso prévio me acendeu o sinal vermelho.

    De qualquer forma, mudei minha newsletter para o Mailchimp. Se o Feedburner continuar e/ou melhorar, volto a queimar meu feed por ele, mas acho que não volto a distribuir por email usando o feedburner.

    Obrigado pela postagem, esse tipo de retorno ajuda bastante.

    Responder

    • Thiago,
      O próprio Blogger ou o WordPress já fazem o serviço de envio de Feed automaticamente sem precisar do FeedBurner.
      Existem alguns sistemas gratuitos para newsletter, mas têm um limite de inscrições ou de envios.

      Vai depender um pouco da sua demanda.
      mas não se preocupe, pois pelo jeito o Feedburner vai ficar por aí ainda muito tempo.

      Responder

  3. Marcos,
    parabéns pelo artigo explicativo. Pensei várias vezes em escrever um artigo como esse e até conversei em alguns debates no Facebook sobre o assunto.
    Mas como tenho interesse na continuidade do Feedburner, visto que tenho meu e-book lançado sobre o assunto, achei melhor não o fazer, pois poderia passar imparcialidade de minha parte.
    Fico feliz que o tenho feito, com imparcialidade e em cima de fatos concretos e não boatos.
    Abraço.

    Responder

  4. Marcos, faz um artigo indicados os melhores serviços semelhantes ao FeedBurner para que os usuário possam ir fazendo testes. Caso o Google um dia feche o serviço seria interessante ter um outro de reserva.

    Responder

  5. O principal problema do feedburner é questão de termos de confirmar o e-mail, na maioria das vezes vai para caixa de spam e muitos usuários não observam este detalhe. Um boa opção para competir com ele seria o mailchimp, mas infelizmente tem um limite de cadastros.

    Responder

  6. Olá Marcos, bem explicado o seu artigo.É aquele velho ditado, para saber a informação correta vá atrás dela, de preferência na fonte.
    Eu por exemplo baseei-me em artigos de Blogueiros e isso só mostrou-me que na correria entre ler,estudar,postar,analisar,ler mais,etc, acabei colhendo informações sem analisá-las direito.
    Obrigado Marcos pelo artigo que inclusive levou-me a estudar mais sobre a ferramenta e começar a estudar uma melhor implementação em meu Blog.

    Responder

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.