Como usar o Cloudflare para proteger e acelerar seu Blog/Site

Quem tem um blog em constante crescimento deve, sempre, se preocupar com dois principios básicos: Velocidade, e segurança. O primeiro garante mais visitantes para o seu blog e melhor posicionamento nos motores de busca, o segundo garante menos SPAM, menos tentativas de invasão e menos problemas envolvendo siglas como XSS, SQL Injection e coisas que podem prejudicar tanto o seu blog quanto os visitantes do seu blog. Hoje, vou apresentar à vocês e vou ensinar a usar em seu blog o Cloudflare, um sistema gratuito que acelera e protege o seu blog, simultaneamente, e que não precisa de instalação em seu servidor e pode ser usado mesmo em hospedagens compartilhadas! 😀

Inscreva-se no nosso Canal no Youtube p/ assistir vídeos sobre Blogs.

O CloudFlare é um sistema de proxy implementado em cima de uma CDN global. O que isso quer dizer? Bem, normalmente quando um visitante acessa o seu blog ele se depara com a seguinte arquitetura: (que é invisivel para o visitante mas que acontece em toda e qualquer visita para o seu blog)

Representação simples de visita a blog sem Cloudflare

Representação simples de visita a blog sem Cloudflare.

Notem que na imagem acima estou desconsiderando coisas como a operadora do visitante, roteadores, modens e afins. Notem também que, na imagem acima, o servidor do seu blog está completamente exposto: se alguém tentar invadi-lo, ele estará acessando diretamente a máquina que hospeda o seu blog, se o seu blog tiver um pico de visitantes, esse pico será direcionado à única máquina que hospeda o seu blog. É isso que o Cloudflare impede: Localizando-se diretamente entre os seus visitantes e o servidor que hospeda o seu blog, veja na imagem abaixo:

Representação simples de visita a blog com Cloudflare

Representação simples de visita a blog com Cloudflare

Agora sim estamos protegidos! Mas…espera aí, como que o Cloudflare pode proteger e acelerar o seu blog se ele está entre o visitante e o seu blog? Simples, e é para resolver dúvidas como essa que criamos uma seção específica para responder essas e outras perguntas sobre o Cloudflare:

Perguntas e respostas sobre o Cloudflare

Cloudflare

Se o CloudFlare está entre o visitante e o servidor do meu blog, como ele não deixa o acesso mais lento?

Simples! O CloudFlare possui uma rede global de servidores que recebe a visita que iria originalmente para o seu blog, analisa e, se a página requisitada já não estiver em cache, processa e manda para o seu blog. Quando o seu blog retorna uma resposta, ele analisa, otimiza, comprime, coloca em cache e devolve para o seu visitante.

Se a página já estiver em cache, o servidor do seu blog nem chega a ser acessado! O Cloudflare toma a liberdade, nesse caso, de devolver o conteúdo do cache para o visitante. E, como trata-se de uma rede global de servidores, e o seu servidor nem chega a ser tocado, temos aqui o primeiro grande ponto positivo do CloudFlare: mais velocidade no acesso para o seu blog!

Note, porém, que não temos aumento na velocidade de acesso ao seu blog apenas quando o CloudFlare já tem a página em cache: Tal aumento ocorre mesmo quando o conteúdo da página não está completamente em cache, pois:

  • A velocidade de conexão do Cloudflare é enorme, muito maior do que a usada pelo seu visitante. Logo, ele consegue acessar o seu blog muito mais rapidamente do que o visitante do seu blog conseguiria.
  • O Cloudflare sempre tenta otimizar a página baixada. Seja compactando os recursos, seja cacheando-os (ou seja, às vezes a página HTML pode não estar cacheada, mas o CSS e o Javascript da página podem estar..)
  • Carregamento assincrono: O CloudFlare pode modificar o código Javascript da sua página para que ele carregue assincronamente. Assim, o visitante do seu blog pode ver o conteúdo mesmo quando o Javascript ainda não estiver 100% carregado.

Como o Cloudflare protege o meu blog?

O Cloudflare protege o seu blog ao receber e processar os visitantes que o acessam antes deles chegarem ao seu servidor. Com isso, muitos tipos de ataques, como XSS e SQL Injection, por exemplo, podem ser evitados, diminuindo assim possíveis problemas com plugins que sejam vulneráveis à tais tipos de ataque.

O Cloudflare ajuda a eliminar SPAM?

Sim! O Cloudflare possui uma base de dados interna que ajuda à evitar que SPAMs sejam postados no seu blog, servindo como um ótimo complemento a sistemas como o Akismet, por exemplo.

Vale a pena utilizar o Cloudflare com o meu blog hospedado no Blogger?

Não! O Blogger já é hospedado na infra-estrutura do Google, que é poderosa o suficiente para adições como o Cloudflare tenham vantagem infima para você e para o usuário final. Além disso, quando você usa o Cloudflare com o Blogger, é possível que o filtro anti-SPAM do Blogger acabe por não funcionar corretamente, afinal, o Cloudflare acaba por mascarar o IP real do visitante e essa é uma das informações que o sistema anti-SPAM do Blogger usa para detectar visitantes que podem ser robôs de SPAM. (no WordPress.org, tal situação é evitada com a instalação de um pequeno plugin, que faz o WordPress detectar o IP real do visitante, e não o IP do servidor do Cloudflare que está acessando o seu blog).

Posso utilizar o Cloudflare com o meu blog no blogspot.com ou no wordpress.com?

Não! Para que o Cloudflare possa interceptar a visita do visitante antes da visita chegar ao seu servidor, é necessário alteração no DNS do domínio que você possui, algo que nem blogspot.com e nem o wordpress.com permitem e que nunca não permitirem! (até mesmo por abrir espaço para usos indevidos de tais endereços). Isso significa que você pode usar o Cloudflare apenas se você possuir um domínio próprio para hospedar o seu blog.

Mas… E se o Cloudflare cair?

Se o Cloudflare cair, inúmeros sites disponíveis hoje na internet vão cair junto, incluindo o seu, caso você decida usá-lo. Entretanto, tal queda seria quase impossível: O Cloudflare já provou ser uma plataforma MUITO resistente, conforme você pode ver abaixo:

  1. O Cloudflare possui uma rede global de Datacenters espalhados pelo mundo;
  2. Ele já aguentou nada mais nada menos do que o maior ataque DDoS da HISTÓRIA;
  3. Caso um ou mais datacenters falhem, o Cloudflare consegue redirecionar o tráfego rapidamente para outros datacenters, como você pode ver nessa página de status do Cloudflare;

Ainda não estou convencido, você tem outros motivos para eu usar Cloudflare no meu blog?

Mas é claro! Segue mais uma lista de razões para você começar a usar o Cloudflare hoje mesmo em seu blog:

Tudo muito legal mas….como eu posso usar o Cloudflare com o meu blog?

Para facilitar, em vez de só dizer o que fazer de forma chata, criei um tutorial passo-a-passo sobre essa instalação:

1) Para usar o CloudFlare, é necessário ter uma conta cadastrada no serviço. Caso você já tenha uma conta, pule para o passo 3, caso contrário, vá para o passo 2.

2) Acesse o formulário de cadastro do CloudFlare e preencha com o seu e-mail, nome de usuário, senha e marque o checkbox caso concorde com os termos de uso do CloudFlare.

Formulário de cadastro do CloudFlare

Formulário de cadastro do CloudFlare

3) Caso você já tenha se cadastrado anteriormente, acesse a página com sua lista de domínios já cadastrados, informe o domínio do seu blog na caixa de texto presente no superior da página e clique em “Add Website“. Caso você tenha criado sua conta no passo 2, informe o domínio no seu blog na página que aparece após clicar em “Create Account Now” e clique em “Add Website“.

4) Na página que aparece, o CloudFlare afirmará que está escaneando o registro DNS em busca dos servidores para qual o seu domínio aponta, quando ele terminar (após cerca de 1 minuto) ele mostrará um botão no qual estará escrito “Continue Setup” (caso você tenha criado sua conta anteriormente ao passo 2) ou apenas “Continue”, caso você tenha criado sua conta no passo 2.

5) O CloudFlare lhe mostrará uma lista com as entradas coletadas do servidor DNS do seu domínio. Nessa lista, aparecerá uma nuvem, que pode estar cinza ou laranja, ao lado de cada entrada, mostrando que o CloudFlare receberá o tráfego para aquela entrada específica (caso a nuvem não apareça ao lado de uma entrada é porque o CloudFlare não suporta o tipo de conexão que ela é capaz de processar, como tráfego vindo de e-mails, por exemplo). Essa nuvem estará automaticamente laranja para algumas das entradas como sugestão dada pelo CloudFlare, e estará cinza para algumas outras entradas. Por padrão, a menos que o seu blog fique em um subdomínio (como blog.exemplo.com, por exemplo), recomendamos que mantenha a lista do jeito que o CloudFlare sugere. Caso falte algo (recomendamos que você acesse o painel da empresa que registrou seu domínio para ver), recomendamos que cadastre no CloudFlare (pois essa detecção nem sempre é perfeita, e pode faltar coisas). Se estiver tudo ok, simplesmente clique em “I’ve added all my missing records, Continue“.

6) Na página seguinte, o CloudFlare mostra as configurações disponíveis para aquele domínio específico. Estão nessa página coisas como plano escolhido, configurações padrão de performance e segurança, suporte à IPv6 e SmartErrors. Esse último ativa um serviço que mostra uma página de erro customizada do CloudFlare quando uma página de erro 404 é entregue para o usuário. Caso você já tenha uma página de erro customizada em seu blog, desative esse serviço, caso contrário mantenha-o ativado pois ele é melhor do que a página de erro padrão dos servidores. (que não levam a lugar nenhum e apenas mostram “404 – Not found”). Clique em “Continue” quando essas configurações estiverem ao seu gosto. =)

7) Agora, o CloudFlare lhe mostrará uma lista de nameservers que você precisa alterar no painel que a empresa na qual você contratou seu domínio deve lhe fornecer. Como há muitas empresas na internet que fazem esse serviço, resolvemos não postar aqui o passo-a-passo para cada uma delas, mas destacamos este link que mostra, na documentação do CloudFlare, tutoriais com imagens mostrando o passo-a-passo nas empresas de registro de domínio mais famosas.

Com isso, você terá o CloudFlare instalado facilmente no seu blog, e poderá aproveitar facilmente todas as vantagens do serviço.

Espero que tenha gostado do post e que esse excelente serviço possa lhe ajudar e muito no seu blog. Até a próxima!

6 Comentários

    • Olá.

      Como eu explico no artigo, usar o CloudFlare com o Blogger não é recomendável pois:

      • O sistema de comentários do Blogger pode passar a não funcionar tão bem quanto antes, pois pode achar que o CloudFlare é um Spammer visto que as visitas de todos os usuários do seu blog passam pelo serviço
      • O Blogger já roda na infra-estrutura do Google, que invariavelmente é maior do que a do CloudFlare. Portanto, não há ganhos de performance em usar o CloudFlare em conjunto com um blog do Blogger.

      É isso, abs.

      Responder

  1. Olá,

    Eu instalei certinho, realmente melhorou muito no carregamento. Mas infelizmente, o meu domínio que é bem indexado no Google, por vim de um blog hospedado na Blogger, perdeu o redirecionamento porque eu utilizei o domínio atual.

    Então, suponho que para eu poder usar os dois domínios ao mesmo tempo, apontando para o mesmo lugar, eu teria que cadastra-los. E isso só faz adquirindo um dos planos do CloudFire, coisa que penso em fazer em breve.

    Em quanto isso continuo usando meus domínios apontando para o meu host mesmo!

    Mas mesmo sendo um usuário que recém adquiriu um blog no wordpress, percebi grandes mudanças no carregamento.

    Abraço!

    Responder

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.