Folha abandona Facebook: A Rede Social está acabando?

Siga o Ferramentas Blog: Canal no Youtube | Facebook | Twitter | Google+

Todos sabemos dos problemas no Facebook para entregar conteúdo. Agora A Folha de São Paulo, uma das maiores empresas de notícias no Brasil, anunciou que vão deixar de publicar no Facebook em função dos péssimos resultados no alcance orgânico da Rede Social. Cada vez mais pessoas estão abandonando o Facebook e este pode ser o sinal de que está perdendo relevância.

Fazer download do e-book Como Ganhar Dinheiro com Blog

A Folha publicou um artigo apresentando os argumentos para largar o Facebook e não alimentar sua Fan Page com conteúdo, mesmo para divulgar seus links de notícias.

Depois que li o texto deles, achai melhor gravar o vídeo a seguir e comentar alguns pontos relevantes, que reforçam o ponto de vista que defendo há bastante tempo. Fato é que o Facebook perde cada vez mais sua capacidade de levar público para os sites e Blogs, bem como não tem mais função de fidelizar um público alvo nas Fan Pages, já que não entrega de forma orgânica o que divulgamos lá.

Boa parte do ponto de vista da Folha já tratei aqui neste outro vídeo: Estou abandonando o Facebook: entenda por quê. E ao comparar a estrutura de time line do Facebook com o Twitter, podemos perceber o quanto o Facebook é uma rede social nociva para quem busca se manter realmente informado:

Assista o vídeo:

Clique AQUI e Inscreva-se no nosso Canal no Youtube

Boa parte dos argumentos da Folha podem ser resumidos à crítica sobre o algoritmo do Facebook que limita o que os usuários vão receber de atualizações e visualizar na time line. O alcance orgânico (natural) das páginas foi reduzido a zero, quando muito atingem 2% da base de fãs que curtiram.

A estrutura atual do Facebook visa exclusivamente publicações pessoas, restritas ao cotidiano de nosso círculo de amizade e relações familiares. E esta não é meramente uma percepção, mas é a política de Feed, da forma como o filtro do Facebook funciona.

O Facebook anunciou exatamente isso:

“Como o espaço no Feed de Notícias é limitado, mostrar mais posts de amigos e de familiares e atualizações que motivem conversas implica na exibição de menos conteúdo público, incluindo vídeos e outros posts de publishers e de negócios.”

Fonte: Facebook Newsroom – Aproximando mais as pessoas

Isso significa o fim de qualquer possibilidade de contraditório, de termos acesso a outras formas de ver o mundo, outras opiniões e até de conhecer mais pessoas fora daquele círculo restrito que os algoritmos do filtro que o Facebook criou nos permitir ver.

É o controle total da opinião em massa

Perceba que não se trata apenas da briga de uma empresa de mídia contra outra, mas da capacidade de propagar uma informação sem o controle de ferramentas externas e de dar liberdade de escolha sobre o que nós, como usuários, queremos ver e acessar.

Há um ótimo livro que recomendo chamado “O filtro invisível: O que a internet está escondendo de você” que trata de forma bem didática como a internet tem se tornado uma bolha e vemos cada vez menos do mundo à nossa volta.

O que deveria ser uma poderosa ferramenta para acessarmos tudo e em todo lugar, está se transformando num pesadelo de controle e limites.

Estamos vendo o fim do Facebook?

Não posso afirmar isso e não acho que a Rede Social perde totalmente a relevância, mas para nós que somos produtores d conteúdo, sua usabilidade está sendo superada. A forma como as pessoas vão usar o Facebook está mudando.

Falta muito para o Facebook acabar e as redes sociais e serviços online pode demorar muito para encerrar atividades, como foi o caso do Orkut e MySpace que levaram anos para serem descontinuados.

Também é preciso que surja algo novo e melhor, que seja capaz de atrair o interesse dos usuários e cumpra funções que outras plataformas não são tão eficientes. Este é um bom momento para o crescimento de plataformas como o Twitter e até do Youtube para ocupar o vácuo de conteúdo.

Sem esquecer de que os Blogs se mostram mais eficientes quando se trata da criação de uma comunidade em torno do conteúdo, sem depender de plataformas externas. O erro de muitos produtores de conteúdo e apostar todas as fichas num único modelo e estrutura. Quando as regras mudam e não é possível adaptar-se, perdem o que foi construído.

A versatilidade dos Blogs pode garantir a longevidade de qualquer informação e da escolha do público em acessar o que considerar relevante.

10 Comentários

  1. Artigo perfeito. Tenho sentido isso há tempos. Não tenho postado nem no perfil. Feed repetitivo. Muitas fakenews. Terrível mesmo. Ótimas observações sobre o Twitter, que agora aumentou também o número de caracteres, além de entregar 100% do conteúdo em tempo real. Há que se pensar mais na rede social preferida do Trump rsrsrs (piadinha) Abração Marcos!

    Responder

  2. É por essas e outras que eu cansei de dá murro em ponta de faca. Fiquei 8 anos construindo e produzindo todo tipo de contudo nos meus sites/blogs e o resultado foi Quase ZERO! Agora estou operando no mercado de criptomoedas e estou ganhando muito mais em um mês do que em um ano.

    Responder

  3. Olá! Marcos Lemos, então não adianta de nada comprar esses cursos dos GURUS do facebook né? Por exemplo o curso da Camila Porto. Ou você acha que ainda vale a pena investir nesse tipo de curso? Obrigado!

    Responder

    • Fabiano,
      Sim, ainda vale a pena. O curso da Camila Porto é excelente e ela é uma profissional muito competente. Meu ponto é que o Facebook não é bom para quem quer apenas gerar tráfego, não tem uma marca ou produto para vender. Existem técnicas específicas para cada tipo de demanda.

      Responder

Deixe um comentário

Ao comentar você concorda com nossa Política de Comentários.